Eduardo Rocha entra com liminar para suspender voto de Bento Herculano

O advogado Eduardo Rocha decidiu judicializar o processo de escolha do novo desembargador do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-21) – Quinto Constitucional. Ele entrou com recurso no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) pedindo a suspensão da lista tríplice, eleita na semana passada pelo pleno do tribunal, e composta pelos advogados Marcelo Barros, Marisa Almeida e Augusto Maranhão.

Rocha pediu liminar para suspender a votação do desembargador Bento Herculano, presidente do TRT-21, que deu o voto de “minerva” para o segundo nome da lista em favor de Marisa Almeida. O placar estava empatado em 4 a 4 e Eduardo Rocha acabou preterido.

O voto de Bento a favor de Marisa Almeida levantou suspeita. Segundo Rocha, Bento e Marisa foram casados, inclusive tem uma filha, o que deveria ser alegada suspeição do voto do presidente do TRT-1.

A demanda no CNJ também apresenta documentos que Bento e Marisa são sócios nas empresas Pipa Empreendimento e Incorporações e no Instituto Brasileiro de Ensino e Cultura (IBEC).

Além de Eduardo Rocha, outros candidatos também se movimentaram para entrar com liminar sobre o voto de Bento.

O TRT-21 ainda não encaminhou a lista tríplice à Presidência da República. A nomeação do novo desembargador cabe ao presidente Jair Bolsonaro.

Foto: Reprodução

Fonte: Blog do César Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.